GUIA 2021: Ducati faz mudanças arriscadas para deixar decepções de 2020 no passado

Os dias de Andrea Dovizioso na Ducati chegaram ao fim. É a grande mudança em uma equipe que agora posta em dois jovens, Jack Miller e Francesco Bagnaia, para ter uma temporada 2021 no mínimo menos decepcionante que a de 2020

As voltas virtuais no novo autódromo da Hungria (Vídeo: Dromo design)

2020 TINHA TUDO PARA SER UM GRANDE ANO PARA A DUCATI. A equipe manteve a estrutura de anos anteriores e viu Marc Márquez, grande rival de anos passados, fora da temporada com o braço direito lesionado. Ainda assim, deu tudo errado: a equipe perdeu rendimento, ficou para trás da Suzuki e seguiu sem título na MotoGP. Foi o ponto de partida para um 2021 que aparenta ser um grande ‘reset’ na montadora italiana.

A história da Ducati em 2021 precisa ser contada desde o começo, o que nos leva de volta para 2020. A equipe italiana vinha em mais um ano com Andrea Dovizioso, consolidado como grande esperança de título, e Danilo Petrucci, um segundo piloto dos mais dignos. Só que a temporada foi decepcionante, com a Suzuki se provando uma adversária forte demais e a chance de aproveitar o ano de ausência de Marc Márquez indo pelo ralo.

Por trás disso, uma relação cada vez mais azeda entre Dovizioso e Ducati, com a equipe não estava muito interessada em oferecer um novo contrato ao piloto. Aí, no melhor estilo Paul McCartney dissolvendo os Beatles só para tirar de John Lennon a honra de fazer isso primeiro, Andrea avisou que estava de saída ao fim de 2020. Petrucci também rodou e, aos trancos e barrancos, a escuderia ganhou uma oportunidade de ouro de repensar seu futuro.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Francesco Bagnaia forma a dupla com Jack Miller (Foto: Ducati)

GUIA MOTOGP 2021
⇝ MotoGP chega igual, mas diferente em campeonato condicionado por pandemia
⇝ Conheça quem são as equipes e pilotos para a temporada 2021 da MotoGP
⇝ Suzuki segue vida sem Brivio e tenta feito do bicampeonato na MotoGP em 2021
⇝ MotoGP volta com mistério: Marc Márquez retorna após três cirurgias? E como?
⇝ Honda aposta em encaixe de Pol Espargaró por encerramento de série de insucessos
⇝ Mir defende título da MotoGP para mostrar que conquista de 2020 não foi acaso
⇝ Quartararo precisará de regularidade e cabeça no lugar para substituir Rossi
⇝ Bastianini, Marini e Martín sobem para MotoGP com promessa de briga parelha
⇝ Yamaha rejuvenesce com Viñales e Quartararo e busca consistência na M1
⇝ Aos 42 anos, Rossi tem recomeço na MotoGP com SRT. Mas qual será o futuro?
⇝ Pol Espargaró tem chance da vida na MotoGP. Assustar Márquez é outra história
⇝ Equilíbrio também deve ser a marca nas categorias de apoio à MotoGP

É justo dizer que a oportunidade foi bem aproveitada. Dois pilotos com potencial de crescimento e anos de carreira pela frente foram contratados: Jack Miller e Francesco Bagnaia, que já formaram dupla na Pramac em 2020.

Miller chega após sete anos na MotoGP, sendo os três últimos na Pramac, equipe satélite da Ducati. O ponto alto da carreira foi a vitória em 2016 pela Marc VDS, satélite da Honda, mas o que realmente importa aqui é o acúmulo de nove pódios pela Pramac, deixando claro que o australiano pode ir longe com equipamento de ponta. Aos 25 anos, o piloto já é maduro o suficiente para ser menos errático, mas ainda com muitos anos pela frente. A dúvida, entretanto, é se o reforço tem condições de comandar o desenvolvimento da moto, algo inédito em sua carreira até aqui.

Bagnaia é outro piloto em uma crescente na carreira, com 24 anos recém-completos e um título da Moto2 como destaque no currículo. Depois da conquista em 2018, a subida para a MotoGP rendeu dois anos honestos, mas ainda muito erráticos. O piloto não viu a bandeira quadriculada em 14 dos 33 GPs que disputou, um número assustadoramente alto. É a cara de um piloto que flertou com vitórias em 2020, mas nunca conseguiu transformar a velocidade em resultados consistentes.

Andrea Dovizioso agora é coisa do passado (Foto: Red Bull Content Pool)

A grande questão é se a Ducati terá paciência. A equipe já teve condições de ser campeã, principalmente em 2017 e 2018, mas esbarrou no talento simplesmente superior de Marc Márquez na comparação com Dovizioso. Um clima produtivo logo azedou, forçando um reset para 2021. Mas e se Miller não for um líder tão bom assim? E se Bagnaia seguir inconsistente? E se a temporada atual for pior que a passada? Não dá para ficar trocando de pilotos a bel-prazer. Que os italianos tenham a paciência necessária para que a nova fase do projeto tenha chances de sucesso.

Outro componente importante para ter um 2021 de sucesso é a moto em si. A expectativa, até pelo que se viu na pré-temporada, é de que a Desmosedici GP21 ainda seja competitiva a ponto de brigar por vitórias. O problema é que 2020 foi um ano decepcionante, com a montadora ficando para trás no desenvolvimento. É aí que entram Miller e Bagnaia, com a missão de entender pontos fracos e ajudar na busca por soluções. O que joga a favor é que os dois, por já terem usado equipamento Ducati nos dias de Pramac, terão dificuldades menores na adaptação.

Já estamos contando os dias para o começo da temporada 2021 da MotoGP. Muitos com saudades, muitos com ansiedade. A Ducati tem motivos de sobra para estar no segundo grupo: as mudanças ousadas serão postas à prova, e o primeiro desafio é o GP do Catar deste domingo.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube