Confira declarações dos pilotos após classificação do GP da Rússia 2020 de F1

Lewis Hamilton passou por uma drama na classificação, mas recuperou-se. Com o tempo de 1min31s304, superou a concorrência e conquistou a 96ª pole na Fórmula 1. Max Verstappen e Valtteri Bottas completaram o top-3

Lewis Hamilton, por um instante, parecia distante da pole position para o GP da Rússia. No Q2, quase ficou sem volta e precisou, no último instante, achar um tempo. Depois, voou no Q3 e garantiu o melhor tempo com 1min31s304, a 96ª vez que larga na posição de honra do grid na Fórmula 1.

O tempo de Hamilton foi realmente impressionante. O concorrente mais próximo, Max Verstappen, ficou a 0s563. Valtteri Bottas, mais veloz da sexta-feira, ficou apenas na terceira colocação.

Sergio Pérez andou bem e ficou em quarto, seguido por Daniel Ricciardo, Carlos Sainz Jr., Esteban Ocon, Lando Norris, Pierre Gasly e Alexander Albon completando o top-10. A Ferrari novamente decepcionou. Charles Leclerc ficou em 11º. Já Sebastian Vettel sofreu um forte acidente nos minutos finais do Q2 e não avançou, conseguindo apenas a 15ª melhor marca da sessão.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A largada do GP da Rússia vai ser em horário mais cedo que o habitual e está prevista para 8h10 (horário de Brasília). Antes, às 7h, o GRANDE PRÊMIO inicia a transmissão ao vivo do BRIEFING pré-corrida com a análise do treino classificatório e as últimas informações vindas diretas de Sóchi. Tudo no canal do GRANDE PRÊMIO no YouTube.

Lewis Hamilton brilhou no sábado em Sóchi (Foto: AFP)

Confira declarações dos pilotos após a classificação em Sóchi:

Lewis Hamilton, pole position: Hamilton faz pole na Rússia com “coração na boca em pior classificação do ano”

Max Verstappen, segundo: Surpreso com 2º no grid, Verstappen põe largada como chave no GP da Rússia

Valtteri Bottas, terceiro: Derrotado, Bottas lembra 2017 e diz que “terceiro é ótimo para largar” na Rússia

Sergio Pérez, quarto: Pérez celebra volta perfeita por 4° lugar na Rússia: “Que bom que batemos a Renault

Daniel Ricciardo, quinto: Ricciardo vê Renault forte na Rússia, mas freia expectativa por pódio: “Nossa luta é no meio”

Carlos Sainz Jr., sexto: 6° no grid da Rússia, Sainz diz que vento forte prejudicou voltas da McLaren

Carlos Sainz Jr. ficou com a sexta posição no grid (Foto: McLaren)

Esteban Ocon, sétimo: Ricciardo vê Renault forte na Rússia, mas freia expectativa por pódio: “Nossa luta é no meio”

Lando Norris, oitavo: 6° no grid da Rússia, Sainz diz que vento forte prejudicou voltas da McLaren

Pierre Gasly, nono: “Estou realmente feliz hoje porque as sessões de treinos livres ontem foram difíceis. Não tínhamos a performance desejada em voltas rápidas, então não tínhamos confiança para a classificação. Logo, fico satisfeito com nossa posição no grid para amanhã. Acho que temos um bom carro, nossas voltas com tanque cheio foram fortes e o equilíbrio está como queríamos. Sabemos que outras equipes estão rápidas, mas espero que na corrida a gente consiga acompanhá-los.”

Alexander Albon, décimo: “Não sei bem o que aconteceu no Q3, então precisamos sentar o olhar com nossos engenheiros. Q1 e Q2 foram bons, mas todos pareceram melhorar no Q3, mas não eu. Não parecia que tinha muito mais a tirar do carro e minhas voltas não pareciam ruins. Vamos tentar achar alguns décimos, mas a distância é grande, então é confuso e temos trabalho a fazer. O vento, eu acho, atrapalhou um pouco, ao mudar bastante do TL3 para a classificação, então alguns pilotos estão escapando da pista. Vamos fazer nosso trabalho para termos um dia melhor amanhã. A reta até a curva 1 é grande e qualquer coisa pode acontecer, vamos ver o que podemos fazer.”

Charles Leclerc, 11º: Leclerc diz que ritmo era “bem melhor que o esperado” e lamenta chance perdida

Correndo em casa, Daniil Kvyat foi o 12º na classificação em Sóchi (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Daniil Kvyat, 12º: “Foi uma classificação dura e estou até satisfeito com o resultado porque podemos brigar amanhã. Acho que será uma corrida interessante com diversas oportunidades, mas fomos azarados com a bandeira vermelha no Q2. Se a sessão não fosse interrompida, teríamos alcançado o Q3. Gostei do carro hoje e nosso ritmo de corrida está bem competitivo.”

Lance Stroll, 13º: “Foi um dia duro. Estávamos prontos para os minutos finais do Q2 quando surgiu a bandeira vermelha. Infelizmente o motor passou por superaquecimento enquanto nos preparávamos para sair então desligamos o carro por precaução. É frustrante, porque estamos indo ao Q3 constantemente neste ano. Não achei meu ritmo aqui ainda. Preciso ajustar os detalhes finais e voltar forte amanhã. Não é fácil ultrapassar aqui, mas temos um carro rápido. Se pudermos largar bem e avançar cedo no grid, temos chances de pontos.”

George Russell, 14º: “Foi muito mais do que poderíamos esperar, então estou muito feliz. Nosso objetivo era estar à frente de Haas e Alfa Romeo, e fizemos isso no Q1. No Q2, foi bom sair à frente de Sebastian Vettel (acidente e bandeira vermelha), já que só tínhamos um jogo de pneus. O carro estava bom, fiquei feliz com minha volta e acho que estamos bem para amanhã. Temos focado nos domingos, já que o ritmo de sábado tem sido bom, mas o de domingo não. Ajustamos isso para cá, então acho que estamos em boa posição. Alfa e Haas sabem nos bater, então temos que ir o mais rápido o possível e preciso checar meus espelhos para que eles não me ultrapassem.”

Sebastian Vettel, 15º: “Arrisquei e perdi o carro”: Vettel explica acidente que destruiu Ferrari na Rússia

Romain Grosjean, 16º: “Creio que tiramos o máximo do carro. Tivemos dificuldades ontem, ficamos mais de 1s atrás do P19, mas demos um bom passo hoje. Mudamos algumas coisas e tal, mas ainda não foi o que queríamos. Mexemos mais para a classificação e até que caminhamos bem. O carro está bem melhor, todo o conjunto, então fiquei feliz neste aspecto. Espero que algumas coisas aconteçam lá na frente amanhã, que assim, com sorte, podemos marcar pontos. No ritmo normal, não temos chance de pontuar, mas claro que precisamos estar prontos para qualquer oportunidade. Precisamos fazer nosso melhor para pegá-los.”

Romain Grosjean quase alcançou o Q2 em Sóchi. Mas ficou só no quase mesmo (Foto; Haas)

Antonio Giovinazzi, 17º: “Fizemos bom progresso mas ao final ficamos fora do Q2 por pouco. A pista mudou bastante do TL3 para a classificação, mas melhoramos em toda volta e acho que estaria em uma posição melhor se não tivesse errado na curva 2 em minha última volta. Acho que temos bom ritmo e não estamos fora da batalha por pontos ainda. Precisamos de uma boa largada, como tivemos recentemente, ganhar algumas posições nas primeiras voltas e aí estaremos na briga por um bom resultado. Nosso objetivo não mudou.”

Kevin Magnussen, 18º: “Não foi boa classificação, as dificuldades continuam. Sabemos que num bom dia dá para entrar no Q2, mas claro que não foi um bom dia visto que fechamos em 16º e 18º. Por enquanto, continuamos brigando e tentando tirar tudo que temos do carro. Os pilotos se esforçam bastante, bem como todo mundo, e isso que é importante para mim, continuar tentando. Precisamos continuar assim para vermos melhores dias.”

Nicholas Latifi, 19º: “Estou desapontado. Ditei minha sessão pelos freios, e desde a volta de aquecimento não estive bem com eles. Perdi minha primeira volta após travar os pneus e isso me deixou mal para a segunda. Precisamos investigar por que eles pioraram em relação aos treinos livres. Amanhã será interessante: nosso carro estará mais competitivo para a corrida, vamos brigar. Estou otimista que podemos avançar no grid, é uma pista de difícil ultrapassagem, então uma boa largada será a chave.”

Kimi Räikkönen, 20º: “Estávamos bem feliz com o carro e a classificação parecia que seria boa, mas não deu certo. Não há muito a dizer, rodei na curva 2 na minha volta rápida e foi isso. Os pneus provavelmente estavam um pouco frios no começo da volta, travei as rodas da frente, acertei a zebra e não houve o que fazer, simples assim. A gente tinha carro para ir ao Q2, mas se você não acerta, você larga do fundo. Amanhã será um desafio, mas vamos ver se dá para se recuperar.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube