Confira declarações dos pilotos após GP da Toscana 2020 de Fórmula 1

O GP da Toscana teve duas bandeiras vermelhas, muitas confusões e mais uma dobradinha da Mercedes. Lewis Hamilton venceu pela 90ª vez na carreira, Valtteri Bottas e Alexander Albon fecharam o pódio

O GP da Toscana foi movimentado e, principalmente, acidentado. A etapa que marcou a 1000ª corrida da Ferrari na Fórmula 1 contou uma entrada do safety-car e duas bandeiras vermelhas. O vencedor mais uma vez foi Lewis Hamilton, da Mercedes.

Largando na pole, Hamilton chegou a perder a liderança no início da prova. Após a primeira bandeira vermelha, no entanto, recuperou o posto e seguiu firme para a 90ª vitória na carreira — agora, está a uma conquista de igualar o recorde de Michael Schumacher na Fórmula 1.

Valtteri Bottas novamente foi o segundo colocado, fechando a dobradinha da Mercedes. Alexander Albon, da Red Bull, terminou a surpresa e conquistou o primeiro pódio na F1.

Daniel Ricciardo foi quarto colocado, com Sergio Pérez em quinto. Lando Norris, Daniil Kvyat, Charles Leclerc, Kimi Räikkönen e Sebastian Vettel completaram a zona de pontuação. Max Verstappen e Pierre Gasly, que já venceram em 2020, abandonaram a prova ainda na primeira volta.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A festa da Mercedes após mais uma dobradinha na temporada 2020 (Foto: Mercedes)

Confira declarações dos pilotos após o GP da Toscana de 2020:

Lewis Hamilton, vencedor: Em Mugello “fenomenal”, Hamilton vibra e diz que “é insano ter 90 vitórias”

Valtteri Bottas, segundo: Decepcionado, Bottas lamenta 2º lugar após “largada dos sonhos” na Toscana

Alexander Albon, terceiro: Albon recorda “trabalho pesado” antes de primeiro pódio na F1 em Mugello

Daniel Ricciardo, quarto: 4° em Mugello, Ricciardo recorda aposta de tatuagem com chefe: “Medo virou ansiedade”

Sergio Pérez, quinto: Pérez esbraveja e culpa “ritmo ruim” do carro por perda de pódio no GP da Toscana

Lando Norris, sexto: “Estou feliz. Foi uma longa corrida da largada até a chegada, com duas bandeiras vermelhas, mas não acho que há muito mais a dizer. Nos aproveitamos dos erros de outros pilotos, mas não tínhamos ritmo para fazer mais. Todo mundo que classificou na nossa frente estava mais rápido, então fico feliz com nossa performance. O carro estava complicado de guiar, então não tive muita confiança. Temos muito trabalho para a próxima corrida.”

Lando Norris foi o sexto colocado no GP da Toscana (Foto: McLaren)

Daniil Kvyat, sétimo: “Foi uma corrida difícil, mentalmente e fisicamente falando, então acho que orgulhosamente posso dizer que nossa equipe não cometeu nenhum erro, o que é ótimo. Foi importante conseguir alguns pontos, então estou feliz com o resultado e minha pilotagem. O time fez um grande trabalho em difíceis circunstâncias durante as duas bandeiras vermelhas. Nossos estrategistas fizeram as chamadas corretas. O sétimo lugar foi um bom resultado e nos fizeram somar mais pontos para o campeonato.”

Charles Leclerc, oitavo: Leclerc relata dificuldades com carro e decreta: “Simplesmente éramos lentos”

Kimi Räikkönen, nono: “Definitivamente, não foi a corrida mais tranquila, mas ficalmente conseguimos alguns pontos, então fico feliz com isso. Minha largada foi ruim, não sei exatamente o que aconteceu, mas fui tocado e tive danos no carro. Quem me acertou não esperava o pelotão tão lento quanto o resto, então destruiu parte do assoalho e minha asa dianteira — o que me fez perder equilíbrio. Depois tive uma punição por cruzar a linha de entrada dos boxes, o que nunca é bom, mas depois da segunda bandeira vermelha encaixei boas voltas e perdi apenas um lugar. Foi uma corrida longe da perfeição, mas importante pelos dois pontos.”

Sebastian Vettel, décimo: Em 10º de 12, Vettel vê GP da Toscana duro: “Foi uma tarde muito agitada”

George Russell, 11º: “É uma pena que a corrida estivesse sob controle — e eu era nono até a última bandeira vermelha. Estava dirigindo como um louco, tudo estava estável, os pneus estavam bons. Na última largada, eu tive problemas nos pneus e isso fez tudo mais difícil. Estou decepcionado comigo mesmo. A equipe sente que merecíamos pontos.”

Ferrari teve muitas dificuldades no 1000º GP na F1. Charles Leclerc foi apenas o oitavo (Foto: Ferrari)

Romain Grosjean, 12º: “Essa é uma das grandes forças da Haas: nunca desistir. Tive um toque na curva 2 na volta inicial. O carro apagou, estava pronto para abandonar, então vi duas rodas na grama e liguei novamente. A suspensão estava ok, então decidimos continuar. Na primeira bandeira vermelha, vi as condições do carro. Não sabia o que esperar do restante da corrida. A última largada foi divertida, consegui ganhar algumas posições. Mas perdendo dois segundos por volta, devido a problemas aerodinâmicos, não há muito a fazer. Dito isso, estou feliz.”

Lance Stroll, abandonou: “Primeiro, estou ok após o forte acidente. Ainda estamos investigando a causa da batida. Aconteceu tudo rapidamente, mas pareceu uma falha no pneu. Precisamos olhar os dados e confirmar as razões. Existem pontos positivos para analisarmos. Estávamos nos aproximando do Ricciardo na briga pela última posição no pódio antes do acidente, tudo prometia um grande final. Estou satisfeito com a melhoria no pacote aerodinâmico nesta semana. Foi um resultado infeliz e às vezes assim é a vida, mas vamos pegar as coisas positivas.”

Esteban Ocon, abandonou: “Tive um problema de superaquecimento dos freios, isso me fez abandonar. Atrás do safety-car, os freios estavam pegando fogo, o que causou danos na parte traseira do carro. Sinto que conseguiríamos bons pontos.”

Nicholas Latifi, abandonou: “Sobre relargadas nessa pista, já sabíamos que o líder adiaria a partida até o último momento possível para evitar o vácuo. Então quando você está no meio do pelotão, o ‘efeito sanfona’ é sempre mais complicado. Eu quase bati no Kevin [Magnussen] na última curva, quando ele parou. Estava empolgado para a corrida, mas coisas assim acontecem.”

Kevin Magnussen, abandonou: “O que pareceu da relargada é que o líder estava muito lento até a linha de chegada. Alguém no meio do pelotão decidiu acelerar, mas foi cedo demais. Eu quase fui, mas decidi parar. Quando diminuí, vi competidores passando, então fui acertado pelo Giovinazzi. Talvez seja uma boa ideia ter um ponto de largada nas retas, para evitar acidentes como esse.”

Forte acidente causou primeira bandeira vermelha em Mugello (Foto: Haas)

Antonio Giovinazzi, abandonou: “Muito frustrante terminar a corrida desse jeito, sem conseguir realmente dar uma volta em velocidade máxima. Mesmo assim, estou feliz com o time marcando pontos. Fiz outra boa largada, pulando para 14º. Não há muito a dizer sobre o acidente, mas foi uma situação perigosa. Todo mundo já estava em alta velocidade, quando o Kevin [Magnussen] simplesmente parou no meio da pista. O [Nicholas] Latifi desviou, mas não consegui. Felizmente nunca se machucou neste assustador acidente.”

Carlos Sainz Jr., abandonou: “Primeiro, queria agradecer por todos estarem bem após o perigoso acidente. Esse é o principal. Realmente precisamos olhar o que aconteceu e o que desencadeou toda essa situação para evitarmos no futuro. Não é a primeira vez essas relargadas ficam perigosas quando você estpa no meio do pelotão, então algo precisa ser feito. Vendo o lado positivo, foi uma boa largada. Era um dia de arriscar e largar bem porque o ritmo do fim de semana não estava bom. Infelizmente tive um toque com uma Racing Point na briga pela quinta posição, que me fez rodar.”

Pierre Gasly, abandonou: “É uma pena terminar a corrida após a primeira curva. Foi uma bagunça, com muitos carros lado a lado. Vi um espaço entre o Kimi [Räikkönen] e o Romain [Grosjean] na curva 2, fui apertado, fiquei sem saída e batemos. Não acho que devemos culpar alguém, mas é uma pena perdermos uma boa oportunidade de pontuar. Mostramos bom ritmo durante o fim de semana, mesmo sem uma boa classificação, e estava confiante em uma recuperação hoje.”

Max Verstappen, abandonou: “Claro que estou decepcionado porque sei que seria uma boa corrida para nós. Tive um bom arranque na largada, depois não consegui acelerar quando fiquei ao lado do Lewis [Hamilton]. Perdi muita velocidade e não tinha potência. Fui caindo no meio do pelotão e fui acertado na traseira. Não há muito mais a ser dito. Bom ver o Alex [Albon] conseguir um pódio.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube