KTM avança, mas ainda distante de protagonismo na MotoGP: o que falta?

A KTM possui uma boa moto, busca constantes evoluções aerodinâmicas e tem uma dupla de pilotos qualificada. Mas o que falta para a montadora austríaca finalmente alcançar a Ducati na luta pelo título da MotoGP?

A KTM foi, novamente, uma equipe forte em 2023. Apesar de apenas duas vitórias em corridas sprint, com Brad Binder na Argentina e na Espanha, a montadora austríaca colocou-se como a única capaz de incomodar as motos da Ducati ao longo do campeonato e ainda viu o piloto sul-africano terminar como quarto melhor do ano.

Como as provas aos sábados não contam para as estatísticas, a KTM ficou ao lado da Yamaha sem vitórias nas corridas principais, enquanto Ducati, Aprilia e até mesmo a capenga Honda conseguiram ao menos uma. O desempenho sem conquistas, porém, parece não ter abalado a confiança do time para 2024.

Relacionadas


A Ducati venceu o Mundial de Construtores com 327 pontos de vantagem para a KTM, segunda colocada na disputa. Na pista, porém, os resultados foram até equilibrados em certo momento, especialmente na segunda metade do campeonato e sempre puxados pelo talento de Binder.

O sul-africano passou muito perto de vencer na Tailândia, perdendo o triunfo na última volta para Jorge Martín, além de errar quando liderava a etapa final, em Valência. O companheiro Jack Miller, por outro lado, pareceu enfrentar dificuldades em manter o nível nas corridas e decepcionou ao longo do certame.

Em 2023, KTM só venceu duas sprints (Foto: Red Bull Content Pool)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Após a etapa de Misano, a KTM apostou em um chassi de fibra de carbono. Mais leve e também aerodinâmico, fruto da parceria com a Red Bull, acabou gerando melhores resultados, assim como a introdução de uma bizarra e detalhada asa traseira no Catar. O desempenho foi bom, sim, mas ainda há uma margem para evolução.

É fácil dizer, por exemplo, que a KTM precisa melhorar o motor para encarar a potência da rival Ducati, especialmente nas longas retas de alguns circuitos. Enquanto nas curvas, de baixa e de alta, o equipamento parece equilibrado, ainda falta um pouco nas altas velocidades, algo que deixa o time austríaco claramente vulnerável.

Para isso, porém, 2024 pode ser o ano do salto necessário por conta das concessões que a MotoGP vai implentar. A KTM, assim como a Aprilia, integra o grupo C, e tem como grande benefício a possibilidade de fazer até seis wild-cards na temporada, usando uma especificação de motores diferente dos titulares. A montadora austríaca, aliás, aposta nisso para o próximo campeonato.

“Os fabricantes agora se dividem em quatro grupos, em função dos resultados. E, se você tem determinados pontos, pode obter mais ou menos concessões no futuro durante a temporada em curso. Pelo bem do campeonato, e porque obviamente ajuda ao promotor, a Dorna, concordamos. Agora queremos dar aos competidores japoneses a chance de alcançar os líderes”, disse o diretor Pit Beirer.

Tendo um piloto de testes como Dani Pedrosa, é esperado que a KTM encontre o caminho correto para evoluir a RC16, mas é preciso entender qual caminho quer seguir para não precisar outra vez recalcular a rota no meio da temporada. E com rivais de olho em saltos grandes, como Honda e Yamaha, o campeonato pode ficar aind amais embolado. É a hora de entender, porém, como chegar na Ducati e, assim, colocar-se de vez como uma protagonista de luxo na MotoGP.

MotoGP volta a acelerar entre 6 e 8 de fevereiro de 2024, com os testes de pré-temporada na Malásia, no circuito de Sepang. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como das outras classes do Mundial de Motovelocidade durante todo o ano.

LEIA TAMBÉM
📌 Pequena Gresini se posiciona entre gigantes, mas com missão árdua na MotoGP 2024
📌 Marini assume batata quente, mas acerta em se descolar do irmão e encarar Honda
📌 Bastianini assume responsabilidades, mas sabe: é tudo ou nada na MotoGP 2024
📌 Acosta chega como novo Marc Márquez na MotoGP: é justo com ele?
📌 MotoGP até cresce, mas ganhar terreno no campo global vai além de novo formato

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.