Confira declarações dos pilotos após classificação do GP da Hungria 2020

Com 1min13s477, Lewis Hamilton assegurou a pole-position para o GP da Hungria neste sábado (18). Valtteri Bottas completa a primeira fila, com Lance Stroll fechando o top-3

Lewis Hamilton foi superior aos rivais na classificação para o GP da Hungria de Fórmula 1. O britânico cravou 1min13s477 neste sábado (11) para largar na ponta pela sétima vez no Hungaroring e alcançar a 90ª pole na carreira. Valtteri Bottas, também da Mercedes, completa a primeira fila.

A Racing Point fechou a segunda fila do grid. Lance Stroll surpreendeu e garantiu a terceira posição no grid, seguido pelo companheiro Sergio Pérez. A Ferrari chega na sequência, com Sebastian Vettel e Charles Leclerc, respectivamente.

Max Verstappen ficou apenas na sétima posição, seguido por Lando Norris, Carlos Sainz e Pierre Gasly. O piloto da AlphaTauri teve problemas durante todo o treino, não marcou tempo no Q3, mas vai largar em décimo.

Dessa Vez, Daniel Ricciardo não passou do Q2, com o tempo de 1min15s661. O piloto da Renault larga em 11º, seguido por George Russell, Alexander Albon, Esteban Ocon e Nicholas Latifi.

Lance Stroll colocou a Racing Point na terceira posição (Foto: Racing Point)

O Q1 contou com as eliminações de Kevin Magnussen, Daniil Kvyat, Romain Grosjean e Antonio Giovinazzi. Em atuação muito ruim, Kimi Räikkönen fez apenas 1min16s614 e larga na última posição do grid.

Confira as declarações dos pilotos:

Lewis Hamilton, pole: Hamilton vibra com sétima pole na Hungria, mas alerta: carro “não está nos trilhos”

Valtteri Bottas, segundo: Bottas vê “Mercedes em outro nível” e lamenta volta no Q3: “Poderia ter sido mais rápido”

Lance Stroll, terceiro: Stroll sorri com 3º no grid da Hungria e exalta “carro forte durante o fim de semana todo”

Sergio Pérez, quarto: Superado por Stroll, Pérez reclama de tonturas na Hungria: “Não me senti 100%”

Sebastian Vettel, quinto: Vettel aposta em estratégia para realizar “sonhos realistas” na corrida da Hungria

Charles Leclerc, sexto: Em “treino difícil”, Leclerc vê Ferrari “com problemas nas retas e melhor nas curvas”

Charles Leclerc ficou em sexto na classificação (Foto: Ferrari)

Max Verstappen, sétimo: Indignado com carro “muito ruim”, Verstappen dispara: “Não somos lentos assim há tempos”

Lando Norris, oitavo: Com “Racing Point em outra liga”, Sainz e Norris creem: Hungria reflete nível da McLaren

Carlos Sainz Jr., nono: Com “Racing Point em outra liga”, Sainz e Norris creem: Hungria reflete nível da McLaren

Pierre Gasly, décimo: “Estou muito feliz por ter ido ao Q3 pela segunda vez nesse ano, mas é uma pena que tenhamos passado por problemas no fim de semana, isso nos custou nossa última volta no Q2 e a ida à pista no Q3. Tenho certeza que vamos estudar os problemas e tentar resolvê-los. Espero que tudo seja resolvido para amanhã. Com relação ao desempenho, estou satisfeito que conseguimos acertar tudo em volta lançada na classificação mesmo sem ter tido muita quilometragem ontem. Foi desafiador, mas no fim demos voltas decentes e me senti bem no carro. Espero que seja o caso amanhã.”

Daniel Ricciardo, 11º: “Hoje não conseguimos melhorar. Usar pneus médios no Q2 provavelmente não foi uma boa ideia. Não acho que estávamos mais lentos que ontem, só que os outros melhoraram. Vamos trabalhar nisso e tentar entender o que aconteceu. Ainda podemos ficar otimistas para amanhã. Temos uma escolha de pneus livre e que pode ser importante, vamos tentar fazer com que isso funcione. Sinto-me otimista e certamente temos pontos a disputar.”

George Russell, 12º: Russell defende amigo Albon e diz que Red Bull “o faz parecer um idiota, e ele não é”

Alexander Albon, 13º: Russell defende amigo Albon e diz que Red Bull “o faz parecer um idiota, e ele não é”

Alexander Albon não passou do Q2 na Hungria (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Esteban Ocon, 14º: “Não foi um grande classificatório para nós. Precisamos revisar algumas coisas, porque não tínhamos o ritmo para passar ao Q3. Eu não fiquei feliz particularmente com o equilíbrio do carro, estava difícil de guiar. É decepcionante, claro, mas está tudo em jogo para amanhã. Se estiver seco, temos uma escolha de pneus livre e, se chover, sabemos que temos boas chances.”

Nicholas Latifi, 15º: Russell defende amigo Albon e diz que Red Bull “o faz parecer um idiota, e ele não é”

Kevin Magnussen, 16º: “Acredito que esperávamos um pouco mais. Tive um pouco de tráfego no último setor da tentativa final. Perdi a vaga no Q2 por uma pequena margem, então fez a diferença. É isso, vamos largar em 16º e ver o que conseguimos fazer. Pensando em quão bom estava o carro na corrida na Áustria, acho que tenho motivo para ficar feliz e esperar algo melhor. Nunca é fácil largar em 16º, mas já pontuei partindo dessa posição. Espero que seja uma corrida agitada, talvez com Safety Car e até chuva porque pode ser nossa chance.”

Daniil Kvyat, 17º: “É um fim de semana difícil até aqui, o carro não está certo para mim. Tivemos dificuldades de encontrar o ajuste certo e o equilíbrio, então não estamos conseguindo fazer com que os pneus funcionem. Não estou casando com o carro, e preciso trabalhar com os engenheiros para saber em qual direção temos de ir. De qualquer forma, foi bem complicado fazer volta lançada. Normalmente eu tiro o melhor do carro na corrida, então vamos ver amanhã.”

Romain Grosjean, 18º: “Acho que o carro tinha potencial para chegar ao Q2 hoje. Meu segundo jogo de pneus esstava ótimo e fomos para 13º ou algo assim. Isso me deixou com um bom sentimento com o carro. Com o último jogo de compostos eu estava convecido de que iria para o Q2, o equipamento estava bom. Perdemos tempo e tive que apertar o botão de neutro na última curva para deixar a fila andar, então meus pneus esfriaram e o treino acabou.”

Antonio Giovinazzi, 19º: “Foi um dia difícil com um resultado decepcionante. Tínhamos muito trabalho a fazer para salvar algo deste final de semana, mas ainda precisamos entender como será a corrida deste domingo. O clima é incerto, mas ainda precisamos entender o que houve na classificação. Largar no fim do grid não é o ideal, especialmente em uma pista complicada para ultrapassar, mas espero que o ritmo de corrida seja bom como foi na Áustria.”

Kimi Räikkönen, 20º: “Estamos distantes de onde deveríamos estar. Precisamos analisar o que deu errado e entender como ficamos aqui atrás. Temos muito trabalho a fazer em diversas área, precisamos ter nossa velocidade novamente. Amanhã é outro dia, mas não será um domingo fácil, então vamos ver como será.”

GRANDE PRÊMIO transmite ao vivo e em tempo real todas as atividades do GP da Hungria, terceira etapa do campeonato da Fórmula 1 2020.

Neste domingo, o Briefing entra ao vivo às 9h (Brasília, GMT -3) o pré-corrida do GP da Hungria de F1 com análise da classificação e as últimas informações antes da largada da terceira etapa do Mundial 2020. Inscreva-se no canal do GRANDE PRÊMIO no YouTube e ative as notificações.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube