Confira declarações dos pilotos após GP da Inglaterra, 4ª etapa da Fórmula 1 2020

Dono da pole, Lewis Hamilton estava pronto para vencer sem muitos problemas na Inglaterra, mas um pneu furado na última volta transformou tudo em drama. Assim, o hexacampeão se arrastou até a linha de chegada, mas segurou Max Verstappen

Lewis Hamilton venceu de forma dramática o GP da Inglaterra. Neste domingo (2), o inglês teve um pneu estourado na última volta e, assim, precisou controlar no braço sem perder o ritmo enquanto Max Verstappen se aproximava. Com três triunfos em quatro provas, Hamilton disparou na liderança do campeonato.

Verstappen chegou na segunda colocação e ainda teve a volta mais rápida da prova, fruto de uma parada no finalzinho. Aliás, não tivesse ido aos boxes, o holandês poderia ter fechado na frente de Hamilton. O pódio ainda teve Charles Leclerc, tirando leite de pedra da Ferrari.

Daniel Ricciardo, Lando Norris, Esteban Ocon e Pierre Gasly tiveram grandes exibições e apareceram no grupo dos sete primeiros colocados. Alexander Albon fez uma prova de recuperação e chegou em oitavo, com Lance Stroll e Sebastian Vettel fechando o top-10. Valtteri Bottas, outro que teve pneu estourado, ficou fora da zona dos pontos, em 11º.

A largada do GP da Inglaterra (Foto: AFP)

Confira as declarações dos pilotos:

Lewis Hamilton, vencedor: Com três rodas, Hamilton relata surpresa com pneu furado e “coração na boca” no fim

Max Verstappen, segundo: 2º, Verstappen lamenta chance de vitória desperdiçada na Inglaterra: “Foi sorte e azar”

Charles Leclerc, terceiro: Feliz com “pneus intactos”, Leclerc assume que pódio na Inglaterra foi “na sorte”

Daniel Ricciardo, quarto: Ricciardo destaca disputas com McLaren e celebra 4º lugar: “Podemos ficar felizes”

Lando Norris, quinto: 5°, Norris diz que “dava para ir além”, mas que levar carro ao fim “não foi nada fácil”

Lando Norris ficou em quinto no GP da Inglaterra (Foto: McLaren)

Esteban Ocon, sexto: 6°, Ocon aplaude reação da Renault na Inglaterra e ritmo forte com pneus duros

Pierre Gasly, sétimo: 7° após passar Ferrari e Racing Point, Gasly assume que GP da Inglaterra foi “inesperado”

Alexander Albon, oitavo: Albon vê culpa “50 a 50” em toque com Magnussen e diz: 8º foi “redução de danos”

Lance Stroll, nono: “Conseguimos seguir pontuando toda corrida, mas estou frustrado por ter sido só nono, precisamos entender os motivos para que isso tenha acontecido. O equilíbrio do carro estava melhor hoje, esperava ser mais competitivo, mas andei para trás na corrida. Não foi nosso dia, hora de focarmos no próximo final de semana e assegurarmos que seremos mais fortes, mostraremos do que o carro é capaz. Uma pena que o Nico não tenha podido largar, ele vinha fazendo um bom trabalho”.

Sebastian Vettel, décimo: Vettel revela falta de confiança com carro na Inglaterra e desabafa: “Não tive chance”

Sebastian Vettel foi apenas décimo (Foto: AFP)

Valtteri Bottas, 11º: Apesar de vibrações e alto desgaste na Inglaterra, Bottas vê furo “imprevisível” no pneu

George Russell, 12º: “Foi a primeira corrida em que fomos bem rápidos e nosso ritmo de domingo foi igual ao de sábado, isso é positivo. Nós focamos bastante nisso, em ter um ritmo de corrida melhor, fomos na direção correta. Depois do safety-car, o carro esteve forte. Passei o Kimi, segurei o Antonio, então, terminamos na frente das Alfa Romeo e da Haas, que era o que tínhamos feito originalmente na classificação”.

Carlos Sainz Jr, 13º: Sainz reclama de “perigoso” Grosjean e lamenta furo no pneu: “Sorte não está comigo”

Antonio Giovinazzi, 14º: “Foi uma corrida complicada, mas acho que fizemos o que dava. Tive uma boa largada e ganhei umas posições, aí ganhei outras em um pit-stop muito bom no safety-car, mas depois sofri com o ritmo e a punição de 5s me tirou duas posições no fim. Esperávamos ser mais competitivos, vamos analisar os dados para ver em que pontos podemos avançar para a corrida da semana que vem”.

Nicholas Latifi, 15º: “Acho que, das quatro corridas, foi a que o carro esteve melhor e mais previsível. O carro estava vivo, bem bom de guiar. Errei na primeira volta, perdi posição, mas, tirando isso, tive bastante confiança para acelerar o tempo todo. Foi uma corrida divertida, fica ainda mais legal quando você consegue brigar com outros carrros”.

Nicholas Latifi ficou na 15ª posição (Foto: Williams)

Romain Grosjean, 16º: “É frustrante o resultado, eu guiei absolutamente no limite do início ao fim da corrida. O primeiro stint foi divertido, me vi em quinto ali depois do safety-car e relembrei os velhos tempos. Fiquei feliz pela estratégia de não termos parado, precisamos tentar coisas assim com o carro que temos, como já tinha sido na Hungria. Consegui manter o ritmo ali, as coisas funcionaram bem, estava feliz e me divertindo. Não acho que muita coisa mude semana que vem, a ordem de forças deve seguir a mesma, mas com mais degradação dos pneus, possivelmente uma corrida de duas paradas, até porque uma parada é mais chato mesmo”.

Kimi Räikkönen, 17º: “Não foi a corrida que a gente esperava, em todos os sentidos. No começo, achei que tivéssemos chances de brigar, mas, depois das paradas, nosso ritmo não era suficiente para brigar. Precisamos ver como melhorar nossa performance para a próxima semana. No fim, tive um problema na asa dianteira, mas que não fez diferença. Não sei bem o que aconteceu, vamos procurar entender”.

Daniil Kvyat, abandonou: “Acho que fazia uma corrida muito forte mesmo que tenha durado tão pouco. Larguei bem, tive bom ritmo e passei uns carros, estava chegando no grupo da frente. Era dia para um bom resultado e aí, do nada, perdi a traseira na curva 10. Achava que tinha sido culpa minha, eu sempre tendo a me culpar, mas revendo o incidente eu vi que foi algo que fugiu do meu controle, precisamos entender o que causou a falha. É frustrante, poderíamos ter marcado alguns bons pontos hoje, mas vamos tentar de novo semana que vem”.

Kevin Magnussen, abandonou: Sem culpar Albon, Magnussen fica “frustrado” com batida: “Vinha perto do top-10”

Nico Hülkenberg, não largou: Hülkenberg descreve falha no carro como “mais uma loucura nos dias loucos que tive”

Paddockast #72 | OS CARROS MAIS DOMINANTES DA HISTÓRIA DA F1
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube