Confira declarações dos pilotos após GP da Itália 2020 de Fórmula 1

O francês a AlphaTauri teve seu dia de glória no GP da Itália deste domingo (6) ao vencer pela primeira vez na Fórmula 1. Carlos Sainz Jr. e Lance Stroll fecharam o pódio

Pierre Gasly teve seu dia de glória na Fórmula 1 neste domingo (6). O francês da AlphaTauri aproveitou o tumultuado GP da Itália para conquistar a primeira vitória da carreira, 0s415 à frente de Carlos Sainz, que tentou ameaçá-lo até os metros finais.

Depois de uma paralisação por bandeira vermelha, Lance Stroll parecia o mais cotado para vencer, mas acabou apenas em terceiro, à frente de Lando Norris, Valtteri Bottas e Daniel Ricciardo.

Dono da pole, Lewis Hamilton tinha largado bem e vinha absoluto na corrida, mas acabou punido com um Stop & go de 10s por entrar no pit-lane enquanto o local ainda estava fechado. O britânico, então, escalou o pelotão até a sétima colocação, com Esteban Ocon, Daniil Kvyat e Sergio Pérez fechando o top-10.

F1; FÓRMULA 1; GP DA ITÁLIA; PÓDIO;
Pódio inédito na Fórmula 1: Pierre Gasly, Carlos Sainz e Lance Stroll no top-3 em Monza (Foto: McLaren)

Melhor Williams, Nicholas Latifi ficou com o 11º posto, seguido por Romain Grosjean, Kimi Räikkönen, George Russell, Alex Albon e Antonio Giovinazzi.

O fim de semana negativo da Ferrari ficou ainda pior na sétima volta da corrida, quando Sebastian Vettel acabou sem freios em uma disputa pela 17ª colocação. O alemão ainda conseguiu voltar aos boxes, mas abandonou. Não fosse desgraça o bastante, a equipe ainda tomou um susto no giro 25, quando Charles Leclerc escapou na Parabólica e bateu forte.

Max Verstappen também não viu a bandeirada, assim como Kevin Magnussen.

Paddockast #77 | Como amar a moribunda Ferrari em crise?
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

Confira as declarações dos pilotos:

Pierre Gasly, vencedor: Gasly lembra 18 meses de altos e baixos e diz que sofreu por 1ª vitória: “É inacreditável”

Carlos Sainz Jr., segundo: Entre pódio e vitória perdida na Itália, Sainz se diz “orgulhoso e decepcionado”

Lance Stroll, terceiro: Stroll lamenta relargada ruim, mas comemora pódio em Monza: “Bom estar de volta”

Lando Norris, quarto: Atrás de Stroll, Norris reclama de regra que permite troca de pneu em bandeira vermelha

Valtteri Bottas, quinto: Só 5º na Itália, Bottas lastima “primeira volta bagunçada” e “carro bem estranho”

Daniel Ricciardo, sexto: “Foi uma corrida louca. Lembrou-me de Baku em 2017, com uma sensação similar, tensa, e muito imprevisível. Parabéns a Pierre pela primeira vitória. Conheço a sensação de vencer pela primeira vez e é uma loucura. Sexto não é um resultado ruim para nós, senti que não podia ter feito nada mais naquela situação. Não fomos os únicos, mas o safety-car e a bandeira vermelha não nos ajudaram hoje. Depois de uma boa largada e um bom ritmo, o tempo não esteve ao nosso lado, mas é algo que não podemos mudar. Estou feliz com a forma como as coisas correram hoje. Tivemos uma ótima largada, um bom ritmo e vamos para o próximo fim de semana”.

Claire se despediu da Williams neste domingo (Foto: Williams)

Lewis Hamilton, sétimo: Punido na Itália, Hamilton assume culpa, mas minimiza perda: “Verstappen não pontuou”

Esteban Ocon, oitavo: “Tenho uma sensação mista hoje, já que tivemos uma boa corrida e conseguimos pontos sólidos, mas foi uma daquelas corridas quando você vê o pódio e imagina o que poderia ter sido. A sorte não esteve do nosso lado no pit-stop antes da bandeira vermelha, o que representou uma parada livre para os outros. A corrida foi forte, passei três carros na largada e tive um bom ritmo para ser competitivo dentro dos pontos. É estranho, já que passei Gasly no início e ele venceu a corrida! Provavelmente não correspondemos às nossas expectativas em relação ao ritmo que tivemos em Spa, mas ainda assim foi um bom esforço”.

Daniil Kvyat, nono: “Tudo que poderia ter dado errado com a estratégia, infelizmente deu, mas pelo menos foi o contrário para Pierre. Foi incrível como aproveitou a oportunidade e estou feliz por ele”.

Sergio Pérez, décimo: “Parabéns ao Lance e ao time pelo pódio, é um grande resultado. Do meu lado, foi um dia decepcionante. Tudo que podia ter dado errado parece ter acontecido para nós. O principal ponto positivo é que pude me recuperar até a décima colocação e conquistar um ponto ― e a equipe também teve um grande dia com o resultado de Lance”.

Nicholas Latifi, 11º: “Foi uma corrida muito complicada e tumultuada. Tive sorte por ter completado o pit-stop antes da bandeira vermelha. Foi bom ter a experiência de largar no top-10 na relargada. Ainda temos dificuldades nas primeiras voltas, com os pneus frios e ar limpo. Parece que os outros carros podem fazer muito mais, enquanto estou tentando não bater e manter a posição. Estou desapontado por ficar fora da zona de pontuação. Quando as coisas se acomodaram, acho que o ritmo estava bom e consegui alcançar Kimi, o que foi bom para ter alguma batalha. Estou feliz com o resultado geral, mas seria bom recompensar a Claire e o time com alguns pontos hoje. Foi um grande privilégio correr para Claire e Frank. Desde que me juntei ao time, me senti em casa e está muito claro que a atmosfera e a cultura que eles instalaram são valorizadas. Dá para entender o motivo de tantos funcionários amarem trabalhar para eles e o time. Vou sentir a falta deles, a Fórmula 1 vai sentir falta deles, e quero desejar toda a sorte para onde quer que a vida os leve”.

Romain Grosjean, 12º: “Bom, infelizmente, este é o nosso ritmo e terminamos onde terminamos. Foi uma corrida dura para nós. Guiei com o coração, como sempre. Me diverti na batalha com George, forçamos o limite ao máximo. Tudo estava ótimo, os pneus, os freios, a energia e tudo mais. Acho que foi um dia mais importante para Pierre, uma vitória fantástica para a França e para ele depois de um ano passado difícil. Fazia 24 anos que a França não tinha um vencedor na Fórmula 1 ― desde Olivier Panis, em Mônaco, em 1996. É bonito. Estou feliz por isso”.

Kimi Räikkönen, 13º: “No fim, foi um resultado decepcionante, mas não tinha nada que realmente pudéssemos fazer. Só tínhamos pneus macios sobrando na bandeira vermelha depois de termos usado os médios na largada, o que efetivamente nos colocou em uma posição muito difícil. Os pneus macios foram bons para lutar e defender nas primeiras voltas após a relargada, mas quando desgastaram, acabamos expostos. Até a bandeira vermelha, estávamos em uma boa posição: o carro parecia bom e as coisas estavam muito positivas para nós, mas depois, realmente não podíamos lutar”.

F1; FÓRMULA 1; LEWIS HAMILTON; PIERRE GASLY; CARLOS SAINZ; GP DA ITÁLIA;
Lewis Hamilton cumprimenta Pierre Gasly e Carlos Sainz pelas conquistas em Monza (Foto: Mercedes)

George Russell, 14º: “Foi uma corrida infeliz e tivemos azar por não parar antes da bandeira vermelha. O carro estava realmente bom, só lento nas retas. Sempre que ultrapasso, me passam de volta na reta. É uma pena, pois acho que poderíamos ter pontuado hoje. O carro era rápido, mas as corridas são assim. Estou muito feliz por ver o top-4 de hoje. É absolutamente incrível para eles. É também o fim de uma era e foi um privilégio fazer parte disso. O que a Claire e o Frank fizeram pelo time, e pelas pessoas que trabalham pelo time, é extraordinário. Eles sempre estiveram nos corações de todos e este ainda é o caso”.

Alexander Albon, 15º: “Não foi uma corrida divertida e a 15ª colocação claramente não reflete nosso verdadeiro pacote. Ficamos com o assoalho bastante danificado do lado esquerdo depois de um contato na curva 1 e aí com a punição nossa corrida basicamente acabou. Não tínhamos aderência e perdemos muito downforce, então foi uma longa corrida e aí fomos mancando até o final. Foi um fim de semana difícil para nós como equipe, nós achávamos que poderia ser e as circunstâncias de hoje tornaram tudo mais difícil. É, obviamente, um dia muito melhor para a AlphaTauri, então estamos felizes pode eles, mas nós precisamos baixar a cabeça e focar em Mugello”.

Antonio Giovinazzi, 16º: “Acabamos sem pontos em uma corrida tão louca, o que é uma pena, já que as coisas pareciam boas no início. Olhando para trás, sabendo como as coisas terminaram, sabemos que terminar no top-10 seria improvável, mas ainda é decepcionante ter uma punição que te coloca atrás do pelotão quando você está rodando nas posições da ponta. Vamos precisar investigar como a situação que levou ao stop & go aconteceu: nos instantes depois que o safety-car é acionado, tudo acontece muito rapidamente e você reage ao que está acontecendo ao ser redor. Eu estava focado apenas em voltar aos pits. Depois, estava atrás demais para fazer qualquer coisa, mas as corridas são assim. Só preciso deixar isso para trás e focar na corrida da próxima semana, outro GP de casa para mim, para tentar fazer um trabalho melhor”.

Max Verstappen, abandonou: Verstappen esbraveja após abandono em Monza: “Fim de semana todo foi uma merda”

Charles Leclerc, abandonou: Leclerc assume erro em acidente no GP da Itália: “Perdi a traseira e bati”

Kevin Magnussen, abandonou: “Fiquei no meio de uma situação tripla na primeira volta, fiquei num sanduíche e acabei com a asa dianteira danificada. Tive de parar, voltei com uma nova asa e tive um ritmo muito, muito bom. Não esperávamos aquele nível de ritmo. Isso faz com que seja ainda mais difícil abandonar assim cedo. Não é bom, claro, especialmente por causa do bom ritmo que tínhamos, estávamos acompanhando as McLaren. Teria gostado de ver até onde poderia chegar na corrida. Aconteceu muita coisa. É exatamente o tipo de corrida de que eu adoraria participar”.

Sebastian Vettel, abandonou: Vettel vê “pesadelo pior do que esperava” na Itália: “Melhor que fãs não estejam aqui”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube