Confira declarações dos pilotos após GP de Eifel 2020 de Fórmula 1

Lewis Hamilton brilhou no GP de Eifel e igualou a marca de Michael Schumacher como maior vencedor da história da Fórmula 1. Muitos pilotos tiveram o que comemorar em Nürburgring neste domingo

O GP de Eifel marcou a 91ª vitória de Lewis Hamilton na Fórmula 1. O inglês da Mercedes largou de segundo, mas aproveitou um erro do companheiro Valtteri Bottas e não perder mais a liderança.

A segunda posição ficou nas mãos de Max Verstappen, da Red Bull, que se valeu do abandono de Bottas para assumir o segundo posto e não perder mais. O holandês tem oito pódios em 2020.

Quem surpreendeu e completou o pódio foi Daniel Ricciardo. O australiano levou a Renault ao primeiro top-3 desde o retorno ao grid como equipe de fábrica, em 2016.

A largada do GP de Eifel de 2020 (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Confira as declarações dos pilotos após o GP de Eifel 2020 de Fórmula 1:

Lewis Hamilton, vencedor: Hamilton celebra triunfo em Nürburgring e recorde: “Vai demorar para me acostumar”

Max Verstappen, segundo: Verstappen critica direção de prova por safety-car no GP de Eifel: “Perigoso com pneus frios”

Daniel Ricciardo, terceiro: “Parece o primeiro”: Ricciardo vibra com volta ao pódio e promete tatuagem no chefe

Sergio Pérez, quarto: Pérez lamenta safety-car que tirou “chance forte” de pódio no GP de Eifel

Carlos Sainz, quinto: Sainz vê insegurança com carro após 5º em Nürburgring: “Nunca me senti na briga”

Pierre Gasly, sexto: “Estou muito feliz com a corrida de hoje, porque ontem foi um dia bem difícil. Não me senti tão bem com o carro, porque não acertamos o equilíbrio que queríamos. Sabemos que geralmente temos melhor ritmo no domingo e sempre estamos na briga por pontos. Hoje, foi divertido. Brigamos muito na pista, atacando e defendendo, todo o tipo de situações. Devo dizer que gostei! A equipe tomou todas as decisões corretas nos momentos certos, então, creio que podemos ficar satisfeitos com a sexta posição de hoje.”

Charles Leclerc, sétimo: Leclerc se contenta com 7º lugar em Nürburgring: “Melhor que poderia fazer”

Nico Hülkenberg, oitavo: Erro na largada e objetivo cumprido: o 8º lugar de Hülkenberg em Nürburgring

Romain Grosjean, nono: Pedrada, dedo roxo e trecho com pneus duros: como Grosjean pontuou pela 1ª vez no ano

Antonio Giovinazzi, décimo: “Estou muito feliz com o desempenho de hoje, tanto o meu quanto o do carro. Fizemos boa corrida e mantivemos o ritmo do começo ao fim. Sabíamos que qualquer coisa seria possível num dia assim e que poderíamos brigar nestas circunstâncias, então, fico feliz de levar um ponto para a casa. Larguei muito bem novamente e controlamos bem as condições complexas. Acho até que podíamos ter terminado na frente, em oitavo, mas o último safety-car nos atrapalhou e custou as posições para Hülkenberg e Grosjean. No fim, porém, terminar no top-10 era a meta e conseguimos cumprir. É um salto de confiança para as próximas corridas.”

Sebastian Vettel, 11º: Com rodada e longe dos pontos, Vettel resume GP de Eifel: “Um dia muito difícil”

Kimi Räikkönen, 12º: “Não foi o melhor fim de semana, mas ontem sabíamos que o trabalho seria difícil. A largada foi ok, mas, então, precisei evitar alguns carros na minha frente e perdi posições. Poderíamos ter andado à frente, mas o safety-car nos custou posições, o que não foi ótimo. Fim de semana frustrante, mas temos que deixar isso para trás e tentar de novo da próxima vez.”

Kimi Räikkönen se tornou o piloto com mais corridas na F1 (Foto: Alfa Romeo)

Kevin Magnussen, 13º: “Hoje foi uma daquelas corridas em que deram oportunidades, então, não aproveitar acaba sendo decepcionante. Estávamos na estratégia errada, mas não havia como saber antes da prova. Escolhemos a estratégia que pensamos ser a que dava mais chances, mas a corrida foi em outra direção. Tive algum problema logo cedo na asa dianteira também, então, no geral, simplesmente não era meu dia. Corridas são assim.”

Nicholas Latifi, 14º: “Foi uma corrida desafiadora hoje, force o quanto dava. Não consigo apontar exatamente onde, mas faltava ritmo geral, especialmente em comparação a Haas e Alfa Romeo. Ficamos em boa posição depois do safety-car, mas carros mais rápidos e de pneus macios estavam logo atrás. As batalhas com Daniil foram divertidas, defendi por cinco ou seis voltas na curva um, duelando de verdade pela dois e a três, foi divertido. Vamos embora e precisamos analisar o motivo pelo qual faltava ritmo.”

Daniil Kvyat, 15º: “Não foi bom hoje, minha corrida foi arruinada no momento em que tive o contato com Albon. Não sei o que ele queria, mas o resultado foi que eu perdi minha asa dianteira e o carro ficou totalmente danificado no assoalho e dutos de freio. Perdi muito tempo sem asa dando uma volta completa para os boxes e, claro, o pit-stop demorou para reparar o problema. Não tive muito o que fazer depois. O carro não tinha dowforce, tive dificuldades pelo resto da corrida. Esperei chuva ou alguma coisa assim, mas nada aconteceu. É uma pena, porque até aquele incidente eu achava que podia ter uma corrida fortíssima. Creio que poderíamos ter ido bem.”

Lando Norris, abandonou: “De início, tivemos uma boa largada. Nossa estratégia e pit-stop mostraram que tivemos um bom primeiro stint, nos colocando em uma posição forte. Depois, é claro, tivemos o problema na unidade de potência antes do pit-stop, que nos custou muito tempo a cada volta. Fiquei cada vez mais longe do quarto lugar e do que poderia ter sido um pódio. Poderíamos ter marcado mais pontos hoje, e não conseguimos. Agradeço a todos no time pelo trabalho e esforço neste fim de semana. É uma pena, mas vamos para a próxima”

Alexander Albon, abandonou: “O ritmo do carro era bom hoje, então, é uma pena ter um resultado assim e não ver onde podíamos terminar. Travei os pneus para evitar contato na primeira volta, o que me obrigou a parar nos boxes cedo demais, porque tinha vibrações severas de um pneu desgastado. Não sei o que houve com Daniil e eu, preciso assistir. Creio que ele possa ter entrado muito aberto na chicane quando relargamos e, acho, foi um julgamento ruim da minha parte. Depois disso, as temperaturas subiram e pedi para abandonar. Parecia um problema de motor, mas o time encontrou o problema: destroços que grudaram no radiador. Não é o que queríamos, mas estamos ansiosos para Portugal.”

Esteban Ocon, abandonou: “Fantástico resultado coletivo hoje e parabéns a Daniel e ao time pelo grande pódio. É um grande resultado para o Campeonato de Construtores, que é o mais importante, e destaca o avanço da equipe neste ano. Da minha parte, estava decente, para ser honesto, e estávamos no caminho para um top-5. Não tive a melhor largada, mas estava gerenciando bem os pneus no primeiro stint, estávamos em boa situação. Basicamente, perdi o controle da direção, freios e câmbio. É uma questão hidráulica que investigaremos. É uma pena, mas vamos voltar disso e estamos ansiosos para a próxima etapa.”

Valtteri Bottas, abandonou: Com “grande largada”, Bottas vê azar em chance perdida contra Hamilton no GP de Eifel

George Russell, abandonou: “Maneira muito frustrante de terminar o GP de Eifel. Estava perto de Sebastian e Kimi vinha logo atrás. Ultrapassei Vettel na primeira curva, mas, com a asa móvel, ele passou de volta. Kimi estava estava na briga conosco e cometeu um erro, perdeu o carro e bateu em mim, o que danificou meu carro e furou meu pneu. Tinha muito dano para levar de volta à garagem, então tive de parar. Corridas às vezes são assim. Até este momento, o carro estava bom e tinha ritmo similar a quem estava ao nosso redor. Nossa estratégia era diferente, então havia oportunidade. É uma pena, porque a corrida estava desenhada como algo melhor que isso.”


Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube