Confira declarações dos pilotos após GP do Catar, 20ª etapa da F1 2021

Lewis Hamilton bateu Max Verstappen por 25s743 e venceu na estreia da Fórmula 1 na pista de Losail. Fernando Alonso completou o pódio

F1 NO CATAR: HAMILTON VENCE, VERSTAPPEN 2°, ALONSO NO PÓDIO | Briefing

Lewis Hamilton levou a melhor na estreia do GP do Catar no calendário 2021 da F1. O britânico da Mercedes bateu Max Verstappen por 25s743 neste domingo (21) para reduzir para oito pontos a vantagem do holandês na liderança do Mundial de 2021.

59s457 atrás do heptacampeão, Fernando Alonso ficou com o terceiro posto do pódio, diante de Sergio Pérez, Esteban Ocon, Lance Stroll, Carlos Sainz Jr., Charles Leclerc e Lando Norris. Sebastian Vettel fechou a lista dos dez melhores.

LEWIS HAMILTON; VITÓRIA; GP DO CATAR; LOSAIL; F1; FÓRMULA 1; MERCEDES;
Lewis Hamilton faturou, no Catar, a vitória 102 da carreira na F1 (Foto: LAT Images/Mercedes)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Pierre Gasly acabou só em 11º, escoltado por Daniel Ricciardo, Yuki Tsunoda, Kimi Räikkönen, Antonio Giovinazzi, Mick Schumacher, George Russell e Nikita Mazepin. Nicholas Latifi e Valtteri Bottas registraram os dois abandonos do dia.

Confira as declarações dos pilotos:

Lewis Hamilton, vencedor: Hamilton celebra “trabalho sólido” no Catar e vitórias seguidas em “temporada e tanto”

Max Verstappen, segundo: Verstappen festeja ponto extra no Catar e prevê “luta acirrada até o fim” com Hamilton

Fernando Alonso, terceiro: Alonso vibra com pódio no Catar após 7 anos de jejum: “Porra! Esperei tanto tempo”

Sergio Pérez, quarto: Pérez lamenta safety-car virtual no Catar: “Estávamos com o pódio no bolso”

Max Verstappen segue líder do campeonato 2021 (Foto: Clive Mason/Getty Images)

Esteban Ocon, quinto: Ocon exalta “exuberante” Alonso e distância para AlphaTauri: “Parece uma vitória”

Lance Stroll, sexto: Stroll vibra ao ser 6º no Catar e elogia Aston Martin: “Recompensa por trabalho duro”

Carlos Sainz Jr., sétimo: Sainz cita ritmo, mas vê Ferrari conservadora no Catar: “Medo do desgaste nos freou”

Charles Leclerc, oitavo: Leclerc elogia acerto da Ferrai, mas mostra surpresa com velocidade de Alpine e AlphaTauri

Lando Norris, nono: Norris exime McLaren de culpa por 9º lugar no Catar: “Furo no pneu arruinou tudo”

Sebastian Vettel, décimo: Vettel culpa espremida geral por largada ruim no Catar: “Poderia ter pontuado mais”

FERNANDO ALONSO; GP DO CATAR; LOSAIL; FÓRMULA 1; F1;
Fernando Alonso festejou um pódio histórico para sua carreira no Catar (Foto: Alpine)

Pierre Gasly, 11º: Gasly lamenta desempenho “chocante” da AlphaTauri no Catar: “Fomos despencando”

Daniel Ricciardo, 12º: Ricciardo assume decepção com desempenho no Catar: “Fomos meros passageiros”

Yuki Tsunoda, 13º: “Foi uma corrida particularmente dura, tive muita dificuldade com os pneus macios, especialmente no primeiro stint. Nós realmente não estávamos esperando por isso, já que, no geral, tivemos um bom ritmo neste fim de semana, mas hoje realmente baixou na corrida, então temos de olhar os dados e entender a razão disso. Foi uma verdadeira pena, uma vez que a Alpine teve uma corrida muito forte hoje, então precisamos de uma reação forte nas últimas duas corridas”.

Kimi Räikkönen, 14º: “Fiquei surpreso com as ultrapassagens que conseguimos fazer. No fim, foi uma corrida divertida. Não esperava muito no início, talvez poder correr com algumas pessoas, já que os carros eram basicamente os mesmos de ontem, mas tivemos uma boa largada e as coisas foram melhorando conforme a corrida passava. Tive algumas boas batalhas e, no final, estávamos nos aproximando de McLaren e AlphaTauri, que estavam na frente. Acho que conseguimos tudo que podíamos nessa corrida”.

Antonio Giovinazzi, 15º: “Fizemos o máximo que podíamos. Acho que nada além de 15º era possível para hoje. Tivemos uma ótima primeira volta, ganhamos quatro posições, e aí estivemos em algumas boas batalhas pelo resto da noite. Ontem tivemos dificuldades, mas sabíamos que com uma boa corrida, poderíamos terminar à frente de Haas e Williams ― e foi isso que fizemos. Fomos para duas paradas, já que o desgaste era alto e as zebras aqui são duras, e, no fim, fomos mais rápidos que nossos rivais. Levando em conta onde começamos, estamos satisfeitos com a nossa corrida de hoje”.

ESTEBAN OCON; ALPINE; GP DO CATAR; LOSAIL; F1; FÓRMULA 1;
Esteban Ocon terminou o GP do Catar em quinto lugar (Foto: Alpine)

Mick Schumacher, 16º: “Foi bom, e podemos ficar felizes com o que conseguimos hoje. Fizemos a estratégia que escolhemos funcionar. A largada foi bem decente, pegamos Latifi no início. A performance do carro estava lá, e estávamos bem na janela. Estávamos muito próximos das Alfa, que era o que estávamos esperando, mas, por outro lado, não em relação ao começo do ano. É devido ao nosso trabalho de equipe nos comprometendo a entender o carro tão bem quanto podíamos e trabalhando com o que tínhamos. Ainda estamos achando coisas novas, novas maneiras de melhorar”.

George Russell, 17º: “Tivemos uma estratégia agressiva hoje, e tentamos forçar nosso stint final a ser o mais longo possível. Com as curvas de alta velocidade para a direita do circuito, os pneus seriam exigidos até o limite, mas precisávamos ser agressivos assim para estarmos na briga com as Alfa Romeo. Infelizmente, o dianteiro esquerdo estourou a algumas voltas do final, coisas que acontecem. Foi triste por nossa corrida acabar assim, mas em último caso, não ganhamos nem perdemos nada, já que nossos rivais não somaram pontos”.

Nikita Mazepin, 18º: “Esperávamos que os pneus fizessem uma coisa e fomos do médio para o macio, e parece que o equilíbrio do carro estava saindo muito de frente no fim do primeiro stint. Fiz algumas voltas decentes no final. Certamente não guiei como se fossem pneus de corrida, guiei como se fossem pneus de classificação, aprendendo a pista a cada volta. Foi uma corrida muito quente. Nossa meta era fazer voltas e maximizar. Não foi das mais fáceis, mas é outra pista nova na mistura para a próxima vez”.

Nicholas Latifi, não completou: “Tentamos fazer a estratégia de uma parada sabendo que levaria os pneus ao limite, mas achamos que poderíamos gerenciar. O que surpreendeu é que eu não tinha ideia de que o pneu estava prestes a estourar, então infelizmente não pudemos ajustar nossa estratégia a tempo. Mesmo depois que George teve que parar de novo, ainda acho que poderia terminar a corrida no jogo que eu estava usando, já que estava me sentindo muito bem. De um jeito geral, acho que a estratégia valeu o risco, especialmente depois que perdemos a posição na pista para as Alfa Romeo, porque não poderíamos fazer nada a mais. É triste que a corrida não tenha funcionado, porque o carro se mostrou muito bom nesse circuito, mas é assim que as coisas acontecem às vezes”.

Valtteri Bottas, não completou: Bottas justifica largada ruim e lamenta furo em pneu: “Poderíamos estar no pódio”

Fórmula 1 volta a acelerar em duas semanas, entre 3 e 5 de dezembro, com outra corrida nova no calendário: o GP da Arábia Saudita, nas ruas de Jedá.

GRANDE PRÊMIO lança especial que celebra carreira de Valentino RossiACESSE

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar