MotoGP

Márquez fala em reduzir número de quedas em 2019, mas avisa: “Se cair 23 vezes e for campeão, tudo bem”

Marc Márquez pretende diminuir o número de quedas em 2019. Durante a coletiva de imprensa desta quinta-feira (7), o piloto reconheceu que ir ao chão não é uma situação ideal, mas que caso consiga ser campeão no final do ano, isso não chega a ser um problema
Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
GUIA 2019
🏁 MotoGP abre 2019 imprevisível e com promessa de alta competitividade
🏁 Por equilíbrio, MotoGP introduz mudanças aerodinâmica e eletrônica
🏁 Yamaha mostra evolução. Mas a dúvida permanece: é o suficiente?
🏁 Ducati sai da pré-temporada forte e vê chance de recuperar título
🏁 Honda carrega mistério: Márquez e Lorenzo vão se aguentar sem brigas?
🏁 Após anos de 'chove e não molha', Suzuki vê chance de dar próximo passo
🏁 KTM tem Pedrosa como trunfo e chance de acelerar evolução da RC16
🏁 Aprilia mira evolução e busca recuperação após 2018 decepcionante
🏁 Moto2 tem motor Triumph, mudança na classificação e classe talentosa
🏁 Moto3 traz nova classificação, volta de Fenati, time de Biaggi e promessa Öncü
🏁 Até com Gibernau, Mundial estreia Copa do Mundo de MotoE em 2019

A MotoGP deu o pontapé inicial na temporada 2019. Nesta quinta-feira (7), os pilotos participaram da coletiva de imprensa no Catar e, em determinado momento, Marc Márquez comentou sobre seu alto número de quedas, e como, apesar de reconhecer não ser algo ideal, não se importa tanto com o fato.
 
O titular da Honda é famoso por vez ou outra levar um tombo na pista – em 2017, foram 27 vezes que foi ao chão; no ano passado, foram 23 as quedas. Entretanto, o piloto consegue se safar de lesões sérias e ainda terminar o campeonato como o grande campeão.
Marc Márquez (Foto: Repsol)
Durante a coletiva em Losail, o espanhol foi questionado se tentava treinar uma maneira de cair de forma mais segura, pergunta a qual respondeu dando risadas “não, é impossível.”
 
O piloto seguiu explicando que realmente o número de quedas não é ideal, mas se conseguir conquistar o título no final do ano, não chega a ser um verdadeiro problema para ele. “É claro que é um número que quero reduzir”, seguiu.
 
“Mas como eu disse, se precisar cair 23 vezes de novo e for campeão, não é um problema para mim. Então, é claro que não é um número que eu gosto, mas, no final, é meu jeito e sei quando preciso ir ao limite”, concluiu.