MotoGP

Montadoras recorrem, e Painel de Comissários remete queixa contra Ducati à Corte de Apelações da FIM

O Painel de Comissários da MotoGP optou por remeter a queixa de Aprilia, KTM, Honda e Suzuki contra a Ducati à Corte de Apelações da FIM (Federação Internacional de Motociclismo). O resultado do GP do Catar segue válido, mas um recurso das fábricas será analisado pela entidade máxima do esporte
Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
🏍️ Enquete: que nota você dá para o GP do Catar de MotoGP

A vitória de Andrea Dovizioso no GP do Catar segue ameaçada. Depois de terem uma queixa contra a Ducati rejeitada pelo Painel de Comissários da MotoGP, Suzuki, KTM, Aprilia e Honda recorreram da decisão e o caso acabou levado à Corte de Apelações da FIM (Federação Internacional de Motociclismo).
 
Com exceção da Yamaha, todas as fábricas rivais protestaram contra a legalidade de um dispositivo instalado pela casa de Bolonha na frente do pneu traseiro. De acordo com a Ducati, a peça tem como finalidade auxiliar no resfriamento do pneu.
 
Coordenador da Ducati, Davide Tardozzi comentou a decisão do Painel de Comissários de refutar a queixa e garantiu a legalidade da peça.
O dispositivo apresentado pela Ducati (Foto: Reprodução)
🏍️ Confira a classificação do Mundial de MotoGP após o GP do Catar

“Se tivéssemos alguma dúvida, não teríamos usado essa peça, e não tínhamos”, disse Tardozzi. “A única verdade é que vencemos e os que fizeram essa reclamação não puderam fazer isso na pista, então queriam fazer fora. Vamos seguir usando-a no futuro”, assegurou.
 
As fábricas, no entanto, recorreram da decisão, que acabou sendo encaminhada à Corte de Apelações.
 
“No GP do Catar, o Painel de Comissários da MotoGP recebeu vários protestos em relação a dispositivos aerodinâmicos no braço oscilante traseiro das motos da Ducati guiadas por Andrea Dovizioso, Danilo Petrucci e Jack Miller”, disse a MotoGP em nota à imprensa. “Os protestos foram feitos pela Aprilia Racing Team Gresini, Red Bull KTM Factory Racing, Repsol Honda Team e Team Suzuki Ecstar, que apresentaram suas preocupações ao Painel de Comissários da MotoGP. Com base nas diretrizes e regulamento atualmente em vigor, o Painel de Comissários da MotoGP rejeitou o protesto deles”, seguiu.
 
“Iniciou-se, então, um processo de apelação e o painel de apelação decidiu subsequentemente encaminhar o caso à Corte de Apelações da MotoGP para poder obter mais informações relativas ao caso”, explicou. “O resultado do GP do Catar segue em vigor”, completou.
 
A expectativa é de que a Corte de Apelações tome uma decisão até o GP da Argentina, que acontece no dia 31 de março.



GUIA 2019
🏁 MotoGP abre 2019 imprevisível e com promessa de alta competitividade
🏁 Por equilíbrio, MotoGP introduz mudanças aerodinâmica e eletrônica
🏁 Yamaha mostra evolução. Mas a dúvida permanece: é o suficiente?
🏁 Ducati sai da pré-temporada forte e vê chance de recuperar título
🏁 Honda carrega mistério: Márquez e Lorenzo vão se aguentar sem brigas?
🏁 
Após anos de 'chove e não molha', Suzuki vê chance de dar próximo passo
🏁 KTM tem Pedrosa como trunfo e chance de acelerar evolução da RC16
🏁 Aprilia mira evolução e busca recuperação após 2018 decepcionante
🏁 Moto2 tem motor Triumph, mudança na classificação e classe talentosa
🏁 Moto3 traz nova classificação, volta de Fenati, time de Biaggi e promessa Öncü
🏁 Até com Gibernau, Mundial estreia Copa do Mundo de MotoE em 2019