MotoGP

Oliveira evita números e põe objetivo genérico para 1º GP na MotoGP: “Dar meu máximo e deixar o Catar sorrindo”

Novato na MotoGP, Miguel Oliveira não quis traçar metas numéricas para sua primeira corrida com a Tech3, mas falou em deixar o Catar sorrindo. O #88 ressaltou que é importante terminar o GP do Catar para ganhar experiência

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
GUIA 2019
🏁 MotoGP abre 2019 imprevisível e com promessa de alta competitividade
🏁 Por equilíbrio, MotoGP introduz mudanças aerodinâmica e eletrônica
🏁 Yamaha mostra evolução. Mas a dúvida permanece: é o suficiente?
🏁 Ducati sai da pré-temporada forte e vê chance de recuperar título
🏁 Honda carrega mistério: Márquez e Lorenzo vão se aguentar sem brigas?
🏁 Após anos de 'chove e não molha', Suzuki vê chance de dar próximo passo
🏁 KTM tem Pedrosa como trunfo e chance de acelerar evolução da RC16
🏁 Aprilia mira evolução e busca recuperação após 2018 decepcionante
🏁 Moto2 tem motor Triumph, mudança na classificação e classe talentosa
🏁 Moto3 traz nova classificação, volta de Fenati, time de Biaggi e promessa Öncü
🏁 Até com Gibernau, Mundial estreia Copa do Mundo de MotoE em 2019

Um dos quatro estreantes da MotoGP em 2019, Miguel Oliveira não quis traçar metas numéricas para o GP do Catar deste fim de semana. O #88 falou apenas em fazer um bom trabalho, ganhar experiência e deixar o Catar sorrindo.
 
O piloto português ressaltou que é importante terminar a corrida em Losail e ganhar experiência na classe rainha.
Miguel Oliveira quer deixar o Catar sorrindo (Foto: Tech3)
❀ Tatiana Calderón – pilota de testes da Alfa Romeo e primeira mulher a correr na F2
❀ Bruna Tomaselli - do kart em Santa Catarina à seleção na W Series e no Road to Indy

“Acho que a abordagem ao primeiro GP é sempre bem simples: é fazer meu melhor e tentar fazer meu trabalho como sempre, além de deixar o time feliz com a minha performance”, disse Oliveira. “Sinto que é importante terminar a corrida, ganhar experiência e saber onde melhorar minha pilotagem”, continuou. 
 
“O mais importante é ter essa experiência na minha primeira corrida na MotoGP, não estou pensando em nenhum resultado em especial”, frisou. “Claro, o desfecho é sempre importante, mas, como é a minha primeira corrida, eu não estou focando em nada definido. Minha meta é fazer um bom trabalho, dar meu máximo e deixar o Catar sorrindo”, concluiu.