MotoGP ratifica mudança e sobe idade mínima de Moto3 e Moto2 para 18 anos em 2023

A partir de 2023, Moto3 e Moto2 se juntam a MotoGP e passam a ter idade mínima de 18 anos. Em 2022, pilotos de 16 anos estão liberados para correr nas classes menores, exceto no caso de substitutos ou wild-cards

ROSSI, RÄIKKÖNEN E CAIROLI: 2021 MARCA FIM DA LINHA PARA VETERANOS

A Comissão de GP aprovou a proposta da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) e subiu a idade mínima dos pilotos para 18 anos. A mudança, porém, é valida apenas a partir de 2023. No próximo campeonato, Moto3 e Moto2 poderão contar com competidores de 16 anos.

Em outubro passado, na esteira das mortes de Jason Dupasquier, Hugo Millán e Dean Berta Viñales, a entidade comandada por Jorge Viegas tinha anunciado mudanças, mas só agora essa proposta foi confirmada pelo grupo composto por Carmelo Ezpeleta, diretor-executivo da Dorna, promotora do Mundial; Paul Duparc, da FIM; Hervé Poncharal, representante da IRTA (Associação Internacional das Equipes de Corrida); Lin Jarvis e Paolo Ciabatti, representantes de Yamaha e Ducati, respectivamente, na MSMA (Associação das Fábricas de Motocicletas Esportivas).

LEIA TAMBÉM
10+: De brasileiro na Moto3 à ‘incógnita’ Márquez: no que ficar de olho em 2022

Moto3 e Moto2 passarão a ter idade mínima de 18 anos em 2023 (Foto: Ajo)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

A Comissão de GP ratificou as mudanças previamente anunciadas, estabelecendo que, a partir de 2023, todos os pilotos precisarão ter 18 anos para participar de qualquer uma das categorias do Mundial de Motovelocidade. Em 2022, porém, Moto3 e Moto2 terão competidores de no mínimo 16 anos, como já foi em 2021.

No caso da Moto3, o regulamento aplica exceções aos campeões do Mundial Júnior de Moto3 e da Red Bull Rookies Cup, que podem correr como contratados, wild-card ou substitutos mesmo sem atingir a idade mínima da categoria. No entanto, o mínimo de 15 anos será aplicado em 2022, subindo para 16 em 2023 e 17 em 2024.

Além disso, o regulamento prevê ― “para assegurar uma transição suave” ―, que será aplicada uma exceção aos pilotos que chegarem à Moto3 em 2022, aos 16 anos, para que eles possam seguir correndo no ano seguinte mesmo sem completar 18. No próximo ano, contudo, substitutos e wild-cards para Moto3 e Moto2 só poderão correr se já tiverem 17 anos.

Ainda, a Comissão de GP confirmou mais uma mudança no regulamento esportivo. A partir de 2022, todos os pilotos devem atingir um tempo igual a 105% da melhor marca de qualquer sessão ― treinos livres ou classificação ― para se classificar para a corrida. Atualmente, é preciso atingir 107%.

RETROSPECTIVA 2021
Quartararo usa consistência para dominar e vencer na MotoGP
Ducati fica sem cereja, mas tem bolo para lá de saboroso na MotoGP
Suzuki perde força e vira incógnita no grid da MotoGP em 2022
Marc Márquez vive montanha-russa em 2021, mas reencontra vitória
Viñales ativa ‘modo insano’ e acumula nova mancha na carreira
KTM ameniza crise com duas vitórias, mas faz ano opaco na MotoGP
Bagnaia floresce, ganha força e vira protagonista na MotoGP
Aprilia cresce, vai ao pódio e ganha reforço inesperado na MotoGP
Rossi dá adeus e encerra carreira vitoriosa após 26 temporadas
Honda segue perdida na MotoGP, mas vê luz no fim do túnel
Gardner e Fernández se agigantam e tomam protagonismo da Moto2
Acosta supera obstáculos e faz por merecer título da Moto3

GRANDE PRÊMIO lança especial que celebra carreira de Valentino Rossi. ACESSE
REGULAMENTOS CONFUSOS ATRAPALHAM F1 E MOTOGP | GP às 10

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar